quarta-feira, 21 de julho de 2010

nada;


' é como se nada nunca satisfazesse. todas as palavras pronunciadas nada dissessem. todos os sorrisos expostos nada alegrassem. as lagrimas derramadas nada aliviassem. como se o nada tomasse conta de cada pensamento mal resolvido. a precipitação que por vezes dá as caras gerando a vontade de jogar o pouco que se tem para o alto. a inspiração que se vê esvaída como a calma que é sempre a primeira a deixar o barco. o conformismo frente aos problemas alheios que é tachado como desdém. o domingo que nada de útil tem. a capa alegre que sempre convém. e os amores sempre cheios de porém.
*Bá

Um comentário:

  1. os amores sempre cheios de porém! *-* perfeito!

    ResponderExcluir